segunda-feira, 31 de agosto de 2009

À culpa

O que é isso, companheira? Sei que prometi mandar notícias o quanto antes e andava cheia de remorsos por não tê-lo feito ainda, mas nada justifica as acusações que você me faz.Você diz que eu não me importo com você, quando todos sabem que pagar tudo que lhe devo é uma das minhas principais preocupações. Pergunte às minhas amigas: falo de você quase todo dia. De como sinto o coração apertar sempre que me lembro do que você significou em minha vida. Curioso que, desde que nos conhecemos, você causa em mim essa sensação de estar deixando de cumprir algum compromisso que assumi. Acho que é a maneira como você franze as sobrancelhas quando olha para as pessoas; parece que está constantemente querendo nos lembrar de alguma coisa importante que esquecemos. Desculpas, Culpa, mas fiquei magoada com sua idéia a meu respeito e gostaria de, mais uma vez, deixar claro que não quero me eximir de você. Mesmo que quisesse, seria impossível, psicologicamente falando. Estamos ligadas para sempre, eu e você, por mil motivos: passamos a infância juntas, fomos colegas no colégio católico, éramos inseparáveis na adolescência. Enfim, sou incapaz de te esquecer, mesmo quando tento. Tudo me lembra você: as frutas que não como, as ligações que não faço, o remédio que não tomo, a saudade que não sinto Tem um livro, Culpa, que me recorda bastante você: O PEQUENO PRÍNCIPE. É lá que está escrito que nós nos tornamos responsáveis por aquilo que cativamos. Acredite, jamais negaria a minha responsabilidade sobre o nosso relacionamento. E fico penalizada de saber que você está assim, tão terrivelmente decepcionada comigo. Faço o que posso, você precisa entender. Jurei que ia te visitar e vou, assim que for possível. Parece mentira esfarrapada, mas, com o passar dos anos, tenho estado com menos tempo disponível para eventos familiares. E você, Culpa, eu já considero da família. Com certeza, vamos nos ver durante o Natal. Que, para mim, é quase um sinônimo da sua chegada. Senão, fica para o réveillon, quando provavelmente nos encontraremos na hora dos fogos. No máximo, depois do Carnaval - adoro dividir com você as besteiras que faço quando bebo, e me fazem falta seus sábios conselhos. Calma, não me esqueço do seu aniversário, que se aproxima - é que não sei se poderei ir. Ausência que doerá mais em mim do que em você, pode acreditar. Mas é que estou de dieta, e suas festas, cheias de tentações deliciosas, engordam-me quilos. Culpa, sei que parece que estou fugindo de você, mas se há um pecado que não cometo é o da injustiça. Carregaria você nos ombros, se você sobrasse para mim, somente. Mas nunca faltarão consciências, por aí, para arcar com você, se isso for necessário. Tivemos nosso tempo juntas, e agora os anos colocaram distância entre nós. Sinto você aqui comigo, entretanto, neste exato momento. Só que você não é minha nem eu sou sua. Melhoras.
Fernanda Young

domingo, 30 de agosto de 2009

DomingãO

Minha mente não consegue elaborar mais uma linha.
Hoje quero é descansar...
P.S: Separei uns filminhos e passei o domingo assim...

sábado, 29 de agosto de 2009

Ao tempo perdido

Onde você foi parar? Como que você some assim, de repente, sem avisar? Por onde você escapou, que eu não vi? Contava com a sua presença para fazer algumas coisas, que adoro, mas para as quais não me sobra mais nem um minuto.Dizem que o tempo perdido não volta jamais, no entanto custo a acreditar que você seria capaz de me largar dessa maneira depois de tudo que vivemos. Será verdade que o tempo é cruel? Terão sido em vão os lindos momentos que desperdiçamos juntos? As horas e horas pensando besteiras, com minhas intermináveis elucubrações?É, quando se é jovem, o tempo que se perde não faz tanta falta. Você passava e eu nem ligava. Agora, corro atrás de cada instante que, um dia, joguei fora sem dar a devida atenção.Querido tempo, queria muito que você voltasse. Poderíamos ir a um cinema, jantar fora, passear à toa pelas calçadas. Com o tempo ao seu lado, a vida definitivamente fica mais fácil.Sei que você não pára, que também está sempre na correria, como eu, contudo não perco a esperança de ainda ter você inteiro, só para mim. Vejo, no espelho, as marcas que você me deixou, e muitas outras delas quero ter antes de a morte chegar.O que posso prometer para que você retorne? Que eu vou aproveitar você melhor? Que vou dar mais valor às suas sábias lições? Que não te perderei mais por bobagens?Ajoelho-me diante de você, inestimável tempo, e juro: nunca mais vou vacilar contigo, pois sei que todos te querem e desejam. As mulheres mais lindas e os homensmais ricos perseguem você por todos os lugares, oferecendo de tudo para ter mais um pouco de sua companhia.Tudo gira em torno de você, tempo, eu sei. Poetas te cantam, gênios te estudam, líderes te seguem. E eu continuaria dias e dias tecendo as mais belas considerações a teu respeito, mas temo que estaria perdendo ainda mais de você fazendo isso.Devo, entretanto, avisar que não pretendo te esquecer nem deixar você em paz. Pode correr, pode fugir, que vou em busca de você, onde estiver. Cancelarei compromissos, emendarei feriados, mas tenho certeza de que te encontrarei de novo. Nem que seja porum só segundo. Quem sabe, então, quando estivermos frente a frente, verei que você não se foi em vão, que foi porque tinha mesmo de ir, passando em silêncio como o tempo deve passar.E que, na sua falta, não o terei perdido, porém eternizado.Saudades. Fernanda Young

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Saudade

Você só me entristece, só me angústia, só e somente só brinca com meus sentimentos. Você não tem coração, tem interesses. Você não tem motivos concretos para errar e mesmo assim é o que mais faz.Você é o meu lamentar no acordar e no deitar. Você não me faz bem.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Uma bala, uma vida

P.S:O tempo não volta nem mesmo para o amor.
Esses dias senti muita tristeza.O filho de uma amiga minha foi assassinado não por que fez nada com ninguém. Ele só queria comer uma acarajé e se foi. Não foi a acarajé que matou ele eu sei...Mas duas pessoas brigavam no trânsito e ele passou na hora que os monstros resolveram trocar tiros. Esse jovem só tinha 22 anos e uma filha de 8 meses. Esses monstros não sei nada deles, a única coisa que sei é que a vida de "DUDU" não voltará. Hoje tomei coragem e fui visitar minha amiga. Fui ao velório e a vi em estado de choque. Isso é péssimo. Não sou mãe ainda mais essa dor doe na gente também. Sinto uma enorme dor no peito só em escrever isso no meu blog. Não sei descrever a tristeza da perda de quem se ama. Fiquei olhando ela no velório e a vi olhando pro horizonte e senti a lembrança de cada coisa vivida por eles nos olhos dela. Deus Olha por essa família e que a tua justiça não aconteça com vidas a ser tirada e sim restituídas e restauradas pelo teu amor. Van, Elen, Dini, Liz, Moni, Fran, Jr a toda a família Moura desejo do fundo do meu coração que vocês estejam amparados por Deus nesse momento. E DUDU descansa em paz!
Esse episódio ocorreu no sábado a noite.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

"O sonO"

Ontem, mais uma vez, esperei horas e você não veio. Hoje, passei a manhã inteira irritada por causa disso. Aí, você me chega depois do almoço, sem a menor explicação, como se isso fosse normal. Eu cheia de coisas para fazer e você querendo me levar para tomar um café. Está querendo acabar comigo, é isso?Uma amiga minha me abriu os olhos: nós dois estamos vivendo uma relação doentia. Eu estou me sujeitando aos seus horários e você está desrespeitando os limites. Não é porque eu vou para a cama com você que eu deixei de chefiar o órgão onde você exerce a sua função.Você tem faltado muito e estou cansada disso. Quando não falta, demora para chegar e vem disperso, agitado, não ajudando em nada. Eu preciso de você tranqüilo, cumprindo seu dever, todos os dias, oito horas por dia, igual a todo mundo. Ou não posso garantir o bom funcionamento da nossa unidade.Sono, sinceramente, qualquer probleminha que surge, você some. Tudo serve de desculpa para você não aparecer: uma conta para pagar, uma viagem de negócios, um caso de doença na família. Por mais que eu não queira te prejudicar, não posso agüentar um sono assim, tão inconstante.A partir desta noite, não quero mais nenhuma irregularidade sua. Não estou exigindo que você seja perfeito, mas, na próxima vez que eu tiver de remediar alguma ausência de sua parte, vou tomar medidas extremamente fortes. E não me importam as reações. Desejo uma convivência leve e sadia entre nós, mas prefiro ter você sempre pesado do que sofrer as conseqüências da atual situação.Não posso entender por que você mudou tanto. Lembro das agradáveis noites que passamos juntos - você eventualmente profundo, muitas vezes superficial, mas sempre presente em minha vida. Mesmo durante o dia, você dava um jeito de estar ao meu lado quando eu ficava deprimida, de cuidar de mim quando eu ficava com febre, de aliviar meu stress quando eu trabalhava demais.Agora, quase nunca posso contar com você. Você só aparece quando bem quer e quando eu menos preciso: num cinema, numa festa, num restaurante. Sua presença, antes tão gratificante, ultimamente só serve para me atrapalhar. Você jamais consegue estar comigo nas horas importantes, tem sempre algo complicado impedindo-o de chegar; mas sei de outras mulheres que dormem com você sem a menor dificuldade. Liguei para uma colega minha, noite dessas, para reclamar de mais uma das suas fugidas, e ela teve o desplante de dizer que não podia falar comigo porque estava na cama com você.Enfim, estou com olheiras, e é por sua culpa. Mas sei que necessito dos seus serviços, então lhe dou este ultimato. Ou você toma jeito e volta a me deixar em paz ou você afunda junto comigo."(Fernanda Young)
P.s: Coloquei os pensamentos de Fernanda Young porque não estava conseguindo escrever. Estou muito triste com as coisas que estão acontecendo em minha volta e achei melhor postar algo que não fosse só dor, mas que fizesse refletir de alguma forma. Deus esteja no controle de tudo.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Para tristeza

Companheira, sei que você vai chorar quando ler esta carta, mas quero deixar de ver você por uns tempos. Vai ser difícil para mim, pois me acostumei à sua presença, porém não vejo mais motivos para continuarmos juntas. Não nego sua importância; em diversos momentos difíceis da minha vida você permaneceu comigo, mesmo quando todos seafastaram. Só que, com você, sinto que não ando para a frente. Esse seu pessimismo me atrapalha.Tenho tentado evitar você de todas as maneiras, e isso não é legal. Ainda mais porque sei que se magoa por qualquer coisinha. Mas basta você chegar e lá se vai minha alegria. Não agüento mais os seus assuntos mórbidos, a sua cara desanimada. Até sexo, com você, ficou sem graça. Nada mais broxante do que gente que chora durante a transa.Perdi anos de minha vida ao seu lado, tristeza, acreditando em tudo que você dizia. Que o amor não existe e o mundo não tem jeito. Você é péssima conselheira para suas parceiras - que o digam a Marilyn e a Sylvia*. Agora, chegou a hora de dar chance à alegria, que há muito tem mostrado interesse em passar uns tempos comigo. Ela me elogia, sabe? Você? O único elogio que eu lembro de ter ouvido de você foi que eu fico bem de olheiras.Veja bem: não estou dizendo que quero acabar com você para sempre. Sei que estou presa a você, de uma forma ou de outra, pelo resto da vida. E podemos muito bem ter os nossos momentinhos juntas, aos domingos ou em longas tardes de poesia. Só não posso é continuar à mercê dos seus péssimos humores, dia após dia, sabendo que você nunca irá mudar. Chega de fornecer moradia à sua pesada existência.Desde pequena, abro mão de muita coisa pela sua companhia. Festas a que não fui porque você não me deixou ir, paisagens lindas nas quais não reparei porque você exigiu de mim total atenção, amigas que perdi porque insisti em levar você comigo a todos os lugares. Ora, tristeza, tente ao menos ser mais leve. Sorria de vez em quando, pare um pouco de se lamentar. Ou vai continuar sendo assim: ninguém querendo ficar com você. Não vou cobrar o que deixei de ganhar por sua má influência, pois sei que tristezas não pagam dívidas. Mas quero de volta meus discos de dance music, que você tirou da prateleira. E minhas roupas estampadas, que sumiram do meu armário depois que você se instalou aqui.Por favor, não tente entrar em contato comigo com as mesmas velhas razões de sempre. Não é a fria lógica dos seus argumentos que irá guiar meu coração daqui por diante. Quero ver a vida por outros olhos, que não os seus. Quero beber por outros motivos, que não afogar você dentro de mim. Cansei da sua falta de senso de humor, do seu excesso de zelo. Vá resolver as suas carências em outro endereço. Como me disse o Lulu, hoje de manhã, no carro, a caminho do trabalho: "Não te quero mal, apenas não te quero mais".Bye-bye,
Fernanda Young

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Votos de submissão

Caso você queira posso passar seu terno,
aquele que você não usa por estar amarrotado.
Costuro as suas meias para o longo inverno...
Use capa de chuva, não quero ter você molhado.
Se de noite fizer aquele tão esperado frio
poderei cobrir-lhe com o meu corpo inteiro.
E verás como a minha pele de algodão macio,
agora quente, será fresca quando for janeiro.
Nos meses de outono eu varro sua varanda,
para deitarmos debaixo de todos os planetas.
O meu cheiro te acolherá com toques de lavanda
- Em mim há outras mulheres e algumas ninfetas
-Depois plantarei para ti margaridas da primavera
e aí no meu corpo somente você e leves vestidos,
para serem tirados pelo seu total desejo de quimera.
- Os meus desejos, irei ver nos seus olhos refletidos.
- Mas quando for a hora de me calar e ir embora
sei que, sofrendo, deixarei você longe de mim.
Não me envergonharia de pedir ao seu amor esmola,
mas não quero que o meu verão resseque o seu jardim.
(Nem vou deixar – mesmo querendo – nenhuma fotografia.
Só o frio, os planetas, as ninfetas e toda minha poesia.)
Frnanda Young
P.S: Eve me apresentou a Fernanda...rs!

domingo, 23 de agosto de 2009

Para o lixO

Mando esta carta direto para você, desejando vê-lo reciclado o mais rápido possível. Espero que não esteja cheio de mim. O problema é que acordei me sentindo como você e, ao precisar escrever algo, pois me cobram, comecei a buscar assuntos para jogar fora. Você sabe: o lixo de um homem é o tesouro de outro. Pensei em perguntar sobre aqueles poemas que enviei para você alguns anos atrás – lembra? A única pessoa que teve acesso a eles, além de você, não entende, até hoje, como é que eu amei tanto lixo em minha vida. Pergunto-me a mesma coisa, de tempos em tempos: o que há em você, lixo, que me atrai e me engana tanto? Seguramente, não é o seu perfume. Nem a sua aparência – além de baixinho, não conheço ninguém que não o ache feio e desarrumado. Você é cheio de cultura, não nego. E talvez tenha sido mesmo isso – essa transbordante quantidade de informação dentro de você – que tenha me encantado em sua personalidade, a princípio. Você guarda tudo: as críticas de jornal, as fofocas dos famosos, as declarações dos políticos, os horóscopos do dia. Mas acontece que, quando esse tipo de coisa acaba, mostra-se vazio. Nada em você sugere profundidade ou durabilidade. É como se tudo passasse por seu interior sem jamais afetá-lo. Numa leveza que você não tem, pois é pesado e repetitivo – haja saco para agüentá-lo, às vezes. Você deve estar de boca aberta neste instante, paralisado no seu canto, incapaz de reagir às minhas considerações. Como se eu estivesse jogando falsas acusações em sua cara, assim, na lata, a fim de me livrar de responsabilidades sobre as coisas. Olha, lixo, estou pouco me lixando. Toda esta sua nova postura, de politicamente correto, não me engana. Você se diz cada vez mais ecológico, mas vive se escondendo debaixo de subterfúgios, sempre ligado aos abutres e a Brasília. Quando chove forte, aí, sim, você aparece, boiando sobre o assunto, para que a população saiba que você existe. Você não vale nada, essa é que é a verdade. Sei que você vai me acusar de fazer sujeira contigo, mas no momento é o que me resta. Quantas vezes as minhas melhores intenções foram para você, lixo, terminando desperdiçadas? Minhas mais verdadeiras cartas de amor, em você, sucumbiram. Minhas mais lindas frases de desabafo, em você, silenciaram. Meus mil desejos inconfessáveis, em você, desintegraram-se. Depois que você entrou no meu computador, então, foi decepção atrás de decepção. É triste dizer, lixo, mas você desperta e traz à tona o que há de pior em mim. Quero você, ao mesmo tempo, o mais perto e o mais longe possível – sendo essa incongruência meu pior dilema. Por isso, na última vez que cruzei com você, na rua, olhei para o outro lado. Anteontem, ao contrário, me encontrei com seu irmão, luxo, na mesma rua, e fiz questão de cumprimentá-lo. Incrível como vocês são tão parecidos e tão diferentes. Ele me deixa de alto-astral. Um dia, achei que você não era de se jogar fora. Estava enganada. Hoje, resolvi tratar você como merece. E, se estiver pensando em se colocar no meu caminho, vá se catar. Ponha-se no seu lugar.
Fernanda Young

sábado, 22 de agosto de 2009

Para quem me odeia

Eu te amo. E não seria metade do que sou sem você, juro. É seu ódio profundo que me dá forças para continuar em frente, exatamente da minha maneira. Prometa que nunca vai deixar de me odiar ou não sei se a vida continuaria tendo sentido para mim. Eu vagaria pelas ruas insegura, sem saber o que fiz de tão errado se alguém como você não me odeia, é porque, no mínimo, não estou me expressando direito. Sei que você vive falando de mim por aí sempre que tem oportunidade, e esse tipo de propaganda boca a boca não tem preço. Ainda mais quando é enfática como a sua - todos ficam interessados em conhecer uma pessoa que é assim, tão o oposto de você. E convenhamos: não existe elogio maior do que ser odiado pelos odientos, pelos mais odiosos motivos. Então, ser execrada por você funciona como um desses exames médicos mais graves, em que "negativo" significa o melhor resultado possível. Olha, a minha gratidão não tem limites, pois sei que você poderia muito bem estar fazendo outras coisas em vez de me odiar - cuidando da sua própria vida, dedicando-se mais ao seu trabalho, estudando um pouco. Mas não: você prefere gastar seu precioso tempo me detestando. Não sei nem se sou merecedora de tamanha consideração. Bom, como você deve ter perce lido, esta é uma carta de amor. E, já que toda boa carta de amor termina cheia de promessas, eis as minhas: Prometo nunca te decepcionar fazendo algo de que você goste. Ao contrário, estou caprichando para realizar coisas que deverão te deixar ainda mais nervoso comigo. Prometo não mudar, principalmente nos detalhes que você mais detesta. Sem esquecer de sempre tentar descobrir novos jeitos de te deixar irritado. Prometo jamais te responder à altura quando você for, eventualmente, grosseiro comigo, ao verbalizar tão imenso ódio. Pois sei que isso te faria fi car feliz com uma atitude minha, sendo uma ameaça para o sentimento tão puro que você me dedica. Prometo, por último, que, se algum dia, numa dessas voltas que a vida dá, você deixar de me odiar sem motivo, mesmo assim continuarei te amando. Porque eu não sou daquelas que esquece de quem contribuiu para seu sucesso. Pena que você não esteja me vendo neste momento, inclusive, pois veria o meu sincero sorrisinho agradecido - e me odiaria ainda mais. Com amor, da sua eterna
Fernanda Young

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

SeguindO em frente

"Uma semana se completa e eu sigo sobrevivendo"

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

MonografandO

" A cada nova descoberta uma nova grafia"

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Deus está no controle de tudO

Vivi meus dias de trevas
E tu me deu a solidão
Vivi meus dias de glória
E tu me deu a solidão
Vivi meus dias de descrença
E tu se apresentou a mim
P.S: Obrigada por issO!

terça-feira, 18 de agosto de 2009

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Apenas um sentimento

Sai dos teus olhos uma lágrima
Sai do teu peito o coração
Lamenta o que se perdeu
Ou o que não foi teu
E o que nunca mais será
Esse vermelho sangue
Essa dor que range
Mas que o tempo irá secar

P.S: De tu ficará a mais linda saudade!

domingo, 16 de agosto de 2009

O silêncio

Pela segunda vez eu fecho a porta
Fecho sem fazer barulho
Sem palavras para serem traduzidas
Sem sentimento para ser ignorado
Pela segunda vez não exatamente como na primeira
Olhar sombrio, peito vazio e alma pra se limpar
Desejo a sufocar e lembranças a conservar
Vida, ida, partida e uma decisão pra alimentar
Esse é o fim

sábado, 15 de agosto de 2009

AmOr ou DesamOr?

Nada pior do que o amor não correspondido. Nada pior do que ter que ficar detido em lembranças, em fantasias, em ilusões. O amor com mentiras é um tipo amor não correspondido.O que adianta você ter alguém do seu lado que vive mentindo, inventando desculpas, subestimando você. Pessoas desumanas que só enxergam seus próprios interesses e utilizam- se de seus sentimentos para alcançar um momento de fama com aquela garota que muitos desejam, julgam inteligente, bonita ou coisas desse tipo. Tirar proveito de alguém é imundo, eu enojo gente que finge o tempo todo. Já paguei preços altos, já fui vitima de preconceitos, discriminações e ganhei inimigos eternos por ser transparente e não deixar com que certas opiniões tivessem peso na minha maneira de conduzir minha vida. Mas nunca conquistei nada com mentira...Já perdi muita coisa por não saber mentir, fingir ser dissimulada com quem quer que fosse. Mas isso não me protegeu de nada, pelo menos agora. Sei que tudo que estou passando vai se tornar passado no final da noite o no amanhã que se inicia. Mas tirei os meus escudos e não quero mais me esconder por detrás de transparências, ninguém precisa me conhecer tanto, tornei-me previsível e indefesa com a minha tese de que não se ama gelado.Tantos conseguem viver nessa mentira. Tantos vivem sem amor ou fingindo viver ele o tempo todo.
P.S: Estou demasiadamente triste, mas vou superar.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

EsperO- PatO Fú

"É difícil respirar sem você,
Não que eu goste de ser má
Mais sorrir pra que?!"

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

A hipocrisia da academia

Ser intelectual nem sempre é bom. Roubam tuas ideias, as tuas crenças por pura preguiça de pensar. Você acaba sempre sendo obrigado a não ser normal porque intelectuais são os mais sensatos, os superadores do medo e de toda insegurança alheia. Quando alguém machuca um intelectual ele precisa respirar fundo e rapidamente encontrar um argumento para justificar para si mesmo que as pessoas não são iguais e que se ele chegou ao patamar maior do conhecimento é ele que precisa saber usar a cabeça. Na academia não se aprende tudo, os autores que nos enriquecem com pressupostos para nossas boas ideias também foram ameaçado por alguém próximo ou vazio que considera que o intelectual é obrigado a pensar por si e pelos outros. Para quem os intelectuais desabafariam seus sentimentos, as suas angustias e a raiva que sente quando os outros utilizam-se de seu brilho?! É os intelectuais possuem brilho e este fica na luz de suas ideias, nos seus avanços subjetivos de maturidade. E embora alguns utilizem-se de suas boas artes o seu subjetivo e o seu sentir esse ninguém se apropriará.
P.S: Sei que muita coisa vai acontecer mais gostaria que minhas escolhas fossem respeitadas assim como busco respeitar as limitações de quem insisti em não me respeitar.

CaminhandO


"No caminho longo
encontrei de tudo,
coisas boas e más.
Pessoas que me davam a mão,
pessoas que me traziam no coração.
Uns ficaram para sempre.
Outros ficaram pelo caminho!
Eu continuo o percurso,caminho longo…
Deixei pelo caminho aqueles
que verdadeiramente amei "
Jose Manuel Brazão

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Atração e repulsão

" Tu escolhes, recolhes, eleges, atrais, buscas, expulsas, modificas tudo aquilo que te rodeia a existência. Teus pensamentos e vontades são a chave de teus atos e atitudes...São as fontes de atração e repulsão da tua jornada vivência. "

Chico Xavier

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Fazendo valer a pena

Por um lado, ter um inimigo é muito ruim. Perturba nossa paz mental e destrói algumas de nossas coisas boas. Mas, se vemos de outro ângulo, somente um inimigo nos dá a oportunidade de exercer a paciência. Ninguém mais do que ele nos concede a oportunidade para a tolerância. Já que não conhecemos a maioria dos cinco bilhões de seres humanos nesta terra, a maioria das pessoas também não nos dá oportunidade de mostrar tolerância ou paciência. Somente essas pessoas que nós conhecemos e que nos criam problemas é que realmente nos dão uma boa chance de praticar a tolerância e a paciência.Se existe amor, há também esperança de existirem verdadeiras famílias, verdadeira fraternidade, verdadeira igualdade e verdadeira paz. Se não há mais amor dentro de você, se você continua a ver os outros como inimigos, não importa o conhecimento ou o nível de instrução que você tenha, não importa o progresso material que alcance, só haverá sofrimento e confusão no cômputo final. O homem vai continuar enganando e subjugando outros homens, mas insultar ou maltratar os outros é algo sem propósito. O fundamento de toda prática espiritual é o amor. Que você o pratique bem é meu único pedido. Dalai Lama

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Achei texto num blog!!!!

Com o passar do tempo acaba-se aprendendo
Que a vida nunca é igual, mesmo que os dias se pareçam tanto
Que a felicidade muda constantemente
Que pessoas vem e vão
E muitas vão, contra à nossa vontade!
Depois de muitas cacetadas, a gente acaba aprendendo
A ser mais paciente, menos egoísta, mais realista
A aceitar a vida como é, sem grandes decepções
Com o passar dos anos eu fui aprendendo
A controlar a minha maluquez e todos os meus rompantes
Mas volta e meia, simplesmente prefiro a loucura
Aquilo de estourar, desistir do mundo, jogar tudo pro alto
E claro, me arrepender horas depois
No fim das contas, a gente até se revolta
Mas aprende a ficar sozinha, a gostar disso.
E a não culpar os outros pela nossa solidão...
"Aprende a andar descalço nesse mundo de asfalto e sem coração. Até que o mundo gire a seu redor."
P.S: Estava procurando figuras no google e achei o texto acima. E a figura que achei interessante hj foi essa...

domingo, 9 de agosto de 2009

Isso é certo...

"Se você não quer ser esquecido quando morrer,
escreva coisas que valham a pena serem lidas
ou faça coisas que valham a pena escrever a respeito."
(Benjamin Franklin)

sábado, 8 de agosto de 2009

Segredos internos

"Eu quis ser eu mesmo
Eu quis ser alguém
Mas sou como os outros
Que não são ninguém
Acho que eu fico mesmo diferente
Quando falo tudo o que penso realmente
Mostro a todo mundo que eu não sei quem sou
E uso as palavras de um perdedor
As brigas que ganhei nem um troféu como lembrança pra casa eu levei
As brigas que perdi...essas sim eu nunca esqueci
Nunca esqueci..."
Perdendo dentes-Pato Fú
P.s: Parabéns sobrinha Velô!

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Recado dado...

"Estou odiando certas coisas que estão acontecendo só lamento não poder voltar atrás"
P.S: Essa monografia precisa de consertos e esses só surtirão efeito se for de consciência.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Reflexo X Reflexão

Sinto medo de mim quando chove incertezas.Pensamento me apavoram e me distanciam do que deveria ser feito. Queria que em algum momento me olhasse como uma pessoa normal que tem sentimento e que esta cansada de não poder expressa-los. Esses dias estou cansada da vontade alheia, esses dias quero repousar apenas nos meus desejos. Quero poder fechar os olhos para as coisas que me incomodaram e dar risadas das que me incomodarão. Imaginar o futuro as vezes nos engrandece. Quem seremos ou o que seremos depois do dia que não se iniciou ainda?! A minha futura e presente resposta?! -Aquele que não desistiu de sorrir.


quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Inocência X Realidade

Esses dias estou sem tempo algum, mas confesso que não funciono sem uma boa história. Portanto, nada me relaxa mais do que um bom filme. Há quem vá gostar ou odiar também mas tudo é questão de sentir.
Ai um resuminho pronto do filme " O menino do pijama listrado"
Bruno, de oito anos de idade, é o filho protegido de um oficial nazista cuja promoção leva toda família a deixar sua confortável casa em Berlim para seguir para uma área desolada onde o menino solitário não tem o que fazer e nem com quem brincar. Muito entediado e movido pela curiosidade, Bruno ignora as insistentes recomendações da mãe de não explorar o jardim dos fundos e segue para a fazenda que ele viu a certa distância. Lá ele encontra Shmuel, um menino da sua idade que vive uma existência paralela e diferente do outro lado da cerca de arame farpado. O encontro de Bruno com o menino do pijama listrado o leva da inocência a uma profunda reflexão sobre o mundo adulto ao seu redor conforme seus encontros com Shmuel se transformam em uma amizade com conseqüências devastadoras.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

O destino

O destino é um homem de casaco largo ele esconde consigo muitas surpresas. Faz um terço de promessa que não cumprirá, mas também está sempre renovando algo em nós. O destino tira pessoas, bota pessoas e acende inesperadamente alguém que não se podia enxergar. O destino não se apavora com nada ele é o próprio pavor para o amor para o ódio. O destino causa pânico com suas mudanças e muitas vezes como uma criança perde a inocência com a dura realidade que vive a se apresentar. "-Seja bem vindo eu sou a consequência."

domingo, 2 de agosto de 2009

SuspirO

Não sei o que sinto embora fosse fácil descrever
Pelo gosto, pelo cheiro e pelas sensações causadas
Se tive medo ele aumentou
Se tive fé ela esgotou
Se a sombra é um corte da alma
A minha veio a frente e pediu calma
Nada vale tanta dor
Mesmo quando esse se chama amor
P.S: Hoje eu não estou bem.

sábado, 1 de agosto de 2009

O outro em mim

Hoje eu estou vivendo um dia daqueles que o desejo maior é ficar sozinha. Comecei a arrumar minhas coisas no quarto e fui olhando para cada uma delas e pensando: eu estou nisso ou isso está em mim?! Tem coisas da gente que não conseguimos jogar fora não conseguimos imaginar numa lata de lixo ou na mão de outra pessoa. Se esse é o sentimento de posse eu não sei...O que sei é que isso acontece com pessoas e coisas também. Fui percebendo que algumas coisas envelheceram e que não dá mais para usá-las, mas que as lembranças que elas me causam não me deixam atirá-las no lixo. Afinal, lixo e tudo aquilo que não nos serve mais. Eu já me senti muitas vezes um lixo acho que todo mundo em algum momento já se sentiu. Hora somos depósitos horas somos uma pequena latinha que deixou de ser utilidade para um amigo, um irmão, um namorado, um patrão, pra o mundo ou até mesmo para nós mesmos. Quem se suporta o tempo todo não se conhece o bastante e quem não se conhece o bastante vive errando consigo e com os outros. A minha vontade de está só hoje vem desse conhecimento que tenho de mim mesma...As vezes precisamos ir pra longe de todo mundo para que conservemos o que é nosso que está em nós e o que é dos outros que anda conosco.
P.S: As vezes tenho medo de viver mais do outro em mim do que a mim mesma.